Sempre falamos aqui de projetos de arquitetura, mas você sabe o que é arquitetura de interiores? O projeto de arquitetura de interiores nada mais é que um conjunto de normas que envolvem fatores como ergonomia, luminotécnica, acústica e térmica, a serem implantados no interior de ambientes residenciais, comerciais ou corporativos, de acordo com as necessidades do espaço e das pessoas que irão compor esse espaço.

Ao entender as necessidades do cliente para determinado ambiente, além de como ele será utilizado, a arquitetura de interiores acaba tendo papel fundamental em projetos para escritórios, pois quando bem planejada ela influencia no dia-a-dia dos colaboradores e em sua produtividade. E, acima de tudo, a arquitetura de interiores precisa entender a empresa para que o projeto atenda também as necessidades de comunicação do negócio.

 

O que deve ser levado em conta em projetos de arquitetura de interiores corporativos

Se você estiver no processo de abrir um novo escritório, não deixe de implementar um projeto de arquitetura de interiores, além do projeto de arquitetura ‘tradicional’. Veja os pontos mais importantes a serem considerados:

 

  • Layout: nessa parte do projeto de arquitetura de interiores é que será pensada como deve ser a disposição dos móveis e dos equipamentos e os espaços para circulação. O layout deve ser planejado para proporcionar boa comunicação e interação entre os colaboradores, o que pode levar ao aumento da produtividade e do bem estar. A arquitetura de interiores também pode planejar um espaço específico de integração, como um lounge, uma sala de descompressão, uma copa.

O que é Arquitetura de InterioresProjeto de Arquitetura Corporativa | Casa Arquitetura

  • Ergonomia: faz tempo que a ergonomia deixou de ser restrita às grandes corporações e passou a ser requisito também na arquitetura de interiores de empresas de menor porte. Ao proporcionar mais conforto ao trabalhador (ou seja, sem incômodos no desempenho do trabalho), a ergonomia exerce grande influência no foco e rentabilidade das pessoas. A empresa, certamente, só tem a ganhar com isso. A escolha dos móveis e a iluminação devem ser pensadas também em termos ergonômicos, não apenas estéticos – precisam ser funcionais e adequados à proposta do projeto de arquitetura de interiores.

 

  • Economia: questões que envolvem sustentabilidade não servem só para a empresa se sair bem frente à sociedade. Elas geram economia para os negócios. O layout pode ser pensado levando em conta o melhor aproveitamento da luz natural, o que diminui o uso de energia elétrica, por exemplo (apenas lembre-se que muita luz – natural ou artificial – também atrapalha). A escolha dos móveis e revestimentos também interfere nas finanças: opte pelo custo x benefício sempre e pense em longo prazo.

Como aplicar a Arquitetura de InterioresProjeto de Arquitetura Corporativa | Casa 3 Arquitetura

  • Imagem: a proposta da arquitetura de interiores, claro, envolve design, imagem, comunicação. Uma marca mais arrojada vai combinar com móveis mais modernos, uma marca infantil com detalhes lúdicos, ou seja, essa relação precisa existir para que clientes e colaboradores entendam rapidamente qual a mensagem a empresa deseja passar. A paleta de cores também deve transmitir a imagem da empresa, além de serem aplicadas corretamente (as cores têm influência na concentração e produtividade). Os revestimentos de pisos e paredes não devem ser apenas esteticamente bons e em harmonia com a proposta da empresa, devem ser pensados também no tratamento/isolamento acústico e térmico. O papel do ‘branding’ não envolve apenas cartão de visitas e um bom website.

Conheça a proposta da Arquitetura de InterioresProjeto de Arquitetura para a Marlan Marinho | Casa Arquitetura

Deixe seu Comentário

comentários