A tecnologia tornou possível a mobilidade dos funcionários, permitindo que eles possam executar suas tarefas em qualquer lugar utilizando laptops, tablets e smartphones. No entanto, mesmo em um mundo digital, as pessoas precisam de espaços para realização dos trabalhos, reuniões ou encontros informais com suas equipes.

O coworking é uma opção interessante para pequenas empresas que necessitam diminuir seus custos com aluguel e serviços. Esses locais possuem um layout adaptado para que todos que dividem o espaço possam usá-lo de maneira satisfatória. Saiba mais sobre arquitetura comercial para espaços de coworking.

Arquitetura comercial para espaços de coworking

Fonte: Casa3 Arquitetura.

Muitas empresas que se tornaram famosas começaram em espaços improvisados, como quartos e garagens, apesar de econômicos, esses locais não costumam ser propícios para fazer negócios ou receber clientes. Por outro lado, comprar ou alugar um escritório próprio pode ser bem oneroso para empresas que estão nascendo e necessitam investir em outras áreas.

E foi pensando neste tipo de público que os espaços de coworking nasceram e se popularizaram. Geralmente especializados em um tipo de público, os coworkings apresentam infraestrutura confortável para grupos de trabalhadores de diferentes empresas que precisam de um espaço funcional em que possam trabalhar e receber clientes.

Outro público comum dos coworkings são profissionais autônomos que trabalham em home office, mas admitem ter problemas de rendimento e, por isso, buscam lugares que permitem o trabalho e a criação de uma rotina mais organizada para o desenvolvimento de suas atividades.

Tendo tudo isso em vista, percebe-se que os espaços de coworking não são apenas locais em que as pessoas conectam seus notebooks e trabalham. Os funcionários das empresas passam praticamente o dia inteiro nestes espaços e, portanto, é preciso que sejam tão confortáveis e funcionais como qualquer outro escritório.

Arquitetura comercial para espaços de coworking

Fonte: Casa3 Arquitetura.

Uma infraestrutura composta por mobiliário ergonômico, iluminação eficiente, conexão com a internet e ambiente climatizado é fundamental para um ambiente produtivo. Além disso, mais do que estações de trabalho, também são necessárias salas de reuniões e espaços convidativos para receber seus clientes.

Como os coworkings costumam abrigar empresas novas e modernas, o mobiliário também segue essa tendência. Escritórios open space com móveis de design clean sem muitas divisões são bastante populares, assim como decorações simples e modernas.

Outra característica bem comum na arquitetura comercial para espaços de coworking é a utilização de instalações aparentes, divisórias de vidro e espaços multiuso que costumam dar mais charme para os ambientes.

A parte de telefonia e recebimento de material também deve ser destacada. Alguns coworkings chegam, inclusive, a fornecer uma secretária partilhada e linhas de telefone fixo para melhorar o conforto das pessoas.

Áreas para café e refeições, assim como salas que podem ser utilizadas para a realização de eventos e workshops e até ambientes de descompressão são comuns em projetos de arquitetura para espaços coworking.

Sala de descompressão

Fonte: Casa3 Arquitetura.

Uma infraestrutura completa como as fornecidas pelos espaços de coworking poderia ser bastante cara para uma única empresa. No entanto, pelo espaço ser coletivo e partilhado, sua locação acaba sendo mais vantajosa financeiramente para todos.

Locais de coworking também oferecem um contrato de locação mais flexível e que não deixe a empresa presa a um mesmo local por um longo período de tempo. Geralmente os contratos dos escritórios compartilhados não possuem tempo mínimo de permanência e podem ser alugados sem muita burocracia.

Vale ressaltar que uma grande vantagem do coworking é a possibilidade de conhecer outras empresas e pessoas, aumentando o networking e levando a uma troca de experiências. Alguns profissionais e empresas chegam a desenvolver parcerias sólidas e longas para complementação de trabalhos.

A ampliação desse networking pode não só gerar boas parcerias como também a inovação e o surgimento de novas ideias, tendo em vista a grande troca que ocorre entre os profissionais e as empresas que partilham o mesmo espaço.

Deixe seu Comentário

comentários